A famosa cirurgia de Ceratocone

O que é ceratocone?

O ceratocone é uma doença que afeta os olhos, que não é inflamatória, mas é progressiva, ou seja, afeta a visão aos poucos.

A doença afeta a visão, deixando-a turva, embaçada e distorcida.

A ciência ainda não sabe afirmar com precisão as causas do ceratocone, que pode ser desde fricção intensa dos olhos por longo tempo, como por causas genéticas.

Contudo, o ceratocone cirurgia é um problema muito comum e uma das maiores causas de transplantes de córnea no território nacional brasileiro.

É sabido que o ceratocone pode afetar pessoas desde a adolescência até mais ou menos os quarenta anos de idade, em média.

 

Quais os sintomas do ceratocone?

São sintomas do ceratocone:

  • O aumento da curvatura da córnea.
  • O surgimento ou piora de outros problemas de visão como miopia e astigmatismo.
  • Visão turva e borrada.
  • Maior sensibilidade à luz.
  • Halos noturnos (que é basicamente a intensificação dos pontos de luz).

Quais os métodos cirúrgicos para combater/corrigir o ceratocone?

É possível a utilização de três métodos para a cirurgia do ceratocone, quais sejam:

1) Anel de Ferrara ou Anel Corneano

A indicação dessa cirurgia se atém aos casos moderados do ceratocone. É um implante cirúrgico de anéis próprios na córnea.

O médico-cirurgião fará uma incisão microscópica na córnea e inserirá esses pequenos anéis próximo à pupila do(s) olho(s) a ser(em) operados.

Por meio desse procedimento tenta-se nivelar a córnea, deixando-a o mais próximo possível do que deveria ser ao natural.

A técnica não causa danos à córnea, mas o paciente deverá usar óculos ou lentes de contato depois do procedimento cirúrgico.

2) Crosslinking de Colágeno

Através de procedimento cirúrgico haverá a remoção de uma parte da córnea (epitélio corneano). Depois há a aplicação de uma solução específica que contém vitamina B2,e que é deixada agir no local por mais ou menos meia hora. Isso fará com que a córnea fique um pouco mais resistente, com menor chance de ocorrência do ceratocone evoluir. A técnica não retira a necessidade de uso de óculos ou lentes posteriormente, ou até mesmo o uso de lentes intraoculares.

3) Transplante de Córnea

É o procedimento cirúrgico mais invasivo, que consiste em trocar a córnea do paciente por outra saudável. O olho fica intacto, só a córnea é substituída. Isso é possível porque a córnea não contempla vasos sanguíneos e, portanto, o risco de rejeição do transplante é bem menor. A cirurgia pode ser realizada em pouco tempo, com liberação do hospital ainda no mesmo dia. A recuperação da visão é progressiva.  Serve para casos mais avançados de ceratocone.

Existem alguns tipos de transplante de córnea, conforme abaixo:

  • Penetrante: há a troca de toda a córnea.
  • Lamelares: somente algumas partes da córnea são substituídas (lamelas).
  • Endotelial sem sutura: é uma técnica cirúrgica que se vale de um aparelho, que tem por finalidade evitar a remoção das partes da córnea que estão sadias. Só são retiradas as partes da córnea que estão comprometidas pelo ceratocone. A recuperação da cirurgia é lenta e gradual, com a consequente recuperação da visão nos mesmos termos.

Para quais casos é indicado o transplante de córnea?

  • Córneas opacas, seja por problemas ligados à infecção, por cicatrizes, traumas em geral etc.
  • Úlceras que deixaram cicatrizes na córnea, ante o uso descuidado ou demasiado de lentes de contato.
  • Astigmatismo alto.
  • Outros tipos de mazelas que deixaram cicatrizes na córnea.
  • Distrofias em geral.

Caso seja diagnosticado com o ceratocone avalie rapidamente e conjuntamente com o seu médico a possibilidade de realização de cirurgia, no seu caso, pode evitar a evolução da doença. Assim, não deixe para depois. Quanto antes o tratamento for iniciado maior as chances de sucesso da cirurgia do ceratocone.

read more